Loading...

10 Razões porque deves testar uma eBike

10 RAZÕES PORQUE DEVES TESTAR UMA EBIKE Nada divide tanto a opinião entre os ciclistas. Mas muito mais do que um nicho, é impossível ...


10 RAZÕES PORQUE DEVES TESTAR UMA EBIKE
Nada divide tanto a opinião entre os ciclistas. Mas muito mais do que um nicho, é impossível não reparar no crescimento das ebikes. Por isso, aqui tens 10 razões porque deves ceder à tentação.






Primeiro os números: em alguns países europeus, as vendas das ebikes estão a crescer muito mais rapidamente do que qualquer tipo de bicicleta. Na Alemanha, por exemplo, as vendas rondam os 535.000 bicicletas elétricas por ano... e na Holanda, venderam-se 276.000 eBikes com uma taxa de crescimento de 11% (Fonte: Electric Bike World Report)






1. As ebikes são para todos.





O primeiro ponto desmente o mito habitual e estigma que as "ebikes são para velhos". É verdade que primeiros ciclistas a perceber as vantagens das ebikes foram das maiores faixas etárias, mas nos últimos 3 anos as ebikes tornaram-se, tal como os smartphones e ligações às redes sociais, num estilo de vida moderno e vanguardista. Por aqui e por ali, é possível ver - sobretudo nas grandes cidades - e-ciclistas que fluem pela ruas e avenidas com as suas elegantes e silenciosas bicicletas elétricas.





2. És mais ciclista!


As tecnologias desenvolvidas pelos principais fabricantes (Bosch, Shimano, Panasonic, etc..) são surpreendentes: surpreendem pela potência viciante, pela suavidade do binário, pela facilidade de subir ou descer a velocidades interessantes! O ciclismo de montanha é um desporto que facilmente se torna fisicamente intenso e isso significa cansaço, dores e desgaste do corpo que pode condicionar a sua mente na próxima vez que pensar em utilizar a bicicleta. As ebikes não têm essa barreira: seja para um trilho suave ou para ver a beleza do alto das montanhas, as ebikes vão despertar ainda mais o ciclista que há em si e só vai dar conta do quanto gosta do ciclismo quando olhar para o relógio e, mesmo tendo apenas os 20 minutos, vai-se imaginar a chegar bem longe!




3. O peso deixa de ser o mesmo




Entre ciclistas, o peso sempre foi um factor de debate e análise... claro, nas bicicletas normais é o ciclista que "carrega" tudo. Mas não nas ebikes. Basta colocar no nível de potência mínimo/autonomia máxima para que o motor assista à pedalada numa proporção acima do peso adicional da bicicleta, ie, apesar das ebikes serem mais pesadas (normalmente, cerca de 20kg), a verdade é que em andamento.. não pesam! Os brilhantes motores elétricos têm uma linha de binário programada para diluir - com um toque de genialidade, diga-se de passagem - o peso. Em vez de pegar na bicicleta para sentir o peso, faça antes o seguinte: sente-se e.. pedale!




4. Arrancam sorrisos contagiantes



Mesmo aos ciclistas mais carrancudos, aos mais cépticos ou satíricos, ninguém resiste ao primeiro contacto com as ebikes. Apesar de partirem convencidos dos seus ideais, quando regressam de uma volta - curta ou longa - inevitavelmente trazem sempre um grande sorriso contagiante na cara. Talvez seja por isso que, segundo dados não oficiais, já se ouvem boatos a dizer que as eBikes têm um nível de assistência ligado diretamente aos músculos da cara...




5. Mais velocidade! Mais!


Lamentamos desapontar, mas as ebikes não batem a barreira do som - genericamente, nos países da União Europeia, as ebikes estão limitadas a 25km/h. Apesar dos motores terem capacidade para mais, os 25km/h corresponde a um limite "burocrático". Segundo as harmoniosas leis europeias, acima deste limite seriam classificadas como "bicicleta motorizada" e implicaria obter uma carta de condução, seguro e outros registos semelhantes a uma moto ou automóvel. Resumidamente: uma ebike não é uma scooter nem uma moto.. nem sequer funciona com acelerador. É uma bicicleta com impulso elétrico que não tem qualquer tipo de encargo adicional obrigatório e o limite de velocidade continua a ser maior do que o necessário para uma utilização em montanha, por isso mesmo a média de velocidade das ebikes é superior às tradicionais. Nas descidas ou quando rolar acima dos 25km/h o sistema deixa de assistir à pedalada, mantendo-se em stand-by.





6. Os longos e ociosos dias de bicicleta voltaram!


Não restam dúvidas que o ciclismo assumiu um carácter mais físico, mais intenso e desportivo. Hoje, mais do que nunca, as bicicletas assumem geometrias mais acentuadas os sistemas de transmissão são mais evoluídos. Contudo, existe um lado perverso de tudo isto: ser ciclista é o mesmo que ser atleta? As ebikes recuperaram e revitalizaram o "ser selvagem" do ciclismo: com a potência extra do motor, vai dar por si a pedalar durante várias horas ou a fazer percursos longos sem uma pinga de suor, a olhar mais pelo horizonte e a parar mais vezes porque o "dia ainda vai a meio".. e nas subidas vai "por fora" porque tem uma pequena berma mesmo a jeito para acelerar..





7. As marcas estão a trabalhar em força!


As bicicletas elétricas são potentes, todo-o-terreno e conseguem expandir consideravelmente os seus horizontes, tempo e limites físicos. Atualmente já pode escolher a sua ebikes numa variedade equivalente às tradicionais: rígidas, suspensão total, fat, enduro e até com pneus plus (2.80'). Mas além de tudo isso, existe uma poderosíssima indústria de transmissões para bicicleta que tem a difícil tarefa de criar uma relação de transmissão adaptada à potência, impulso e momento dos motores elétricos. Imagine-se numa subida: se for a pedalar numa mudança demasiado leve, a gestão do motor vai "travar" o binário e originar maior consumo da bateria. O mesmo acontece no oposto: se pedalar numa mudança demasiado pesada, a potência excessiva vai consumir mais autonomia à bateria. A definição do ponto ideal entre a relação da mudança, a velocidade e potência do motor é um equilíbrio difícil de atingir, mas não impossível! Além dos grupos de transmissão especificamente para eBikes como o Sram EX1, a KTM Bike Industries deu um passo de gigante ao criar a KTM Macina Force E30, primeira ebike com... 30 velocidades!



8. Qual é a autonomia das ebikes?


Não existe uma resposta concreta para esta pergunta, pois infelizmente depende de vários factores: da capacidade da bateria, do perfil do terreno, da temperatura e também do peso do ciclista. Apesar dos fabricantes não divulgarem dados oficiais, avançam com os valores "expectáveis" e entenda-se, sempre nas melhores condições de utilização: a Bosch eBike Systems adianta 140km! Atenção: esta autonomia é calculada para uma bicicleta equipada com bateria de 13.8Ah/500Wh, um ciclista de 80kg, terreno com perfil suave, temperatura amena e sempre assistida no modo Eco. 


9. Belas são as eBikes!


Estamos a chegar ao final do puzzle: as bicicletas elétricas estão a ficar bem mais bonitas (além de tecnicamente melhores). Cada vez mais vemos melhor capacidade de integração dos componentes no quadro, mantendo o necessário e importante equilíbrio dinâmico com bicicletas realmente apelativas.



10. Sente-te como um "Pró"



Este ponto é, talvez o mais difícil de explicar mas o mais fácil de sentir. Como explicar que vais subir com uma facilidade brutal? Como explicar que, quando vires um ciclista numa subida, vais conseguir alcançá-lo e, se quiseres, ultrapassá-lo.. assim tão facilmente? Como explicar que vais chegar ao topo "daquela" montanha.. duas vezes e quase sem dar por isso? A não ser que sejas um atleta tipo "Pro", isso nunca te vai acontecer sem uma ebike. Ah, esquece também as barras e vitaminas. Eletrifica-te!





Tecnologia 7903273426239562750

Enviar um comentário

emo-but-icon

Página inicial item

Catálogo PremiumBikeDealer

Giessegi Inverno 2018

Dropout's Linha Branca

RSS - Receba por email

Media

 photo magazines3_zps899cd7f2.jpg

Galeria de Fotos